Quando compramos um carro, são muitas as decisões a tomar: o modelo, o tamanho, a potência, o número de lugares, o combustível… e a tudo isto há que juntar a escolha da cor. A cor não é apenas um detalhe de gosto pessoal, a cor é item diretamente ligado a segurança e que pode evitar acidentes.

A escolha da cor é indiferente para uns, essencial para outros. Há quem diga que a cor do nosso carro nos define. Assim, vamos escolhê-la em função dos nossos gostos pessoais ou em função do nosso objetivo. A cor pode encarecer o nosso carro à volta de 1000€, mas sabia que há cores que podem influenciar a nossa segurança?

O risco em números

Uma investigação realizada pelo Centro de Experimentação e Segurança Rodoviária (Cesvi), da Colômbia, proporcionou dados reveladores. Enquanto que os carros escuros refletem um terço da liz recebida, os claros refletem quase a totalidade. Isto traduz-se na menor visibilidade dos carros escuros na estrada em condições de pouca visibilidade e, por isso, o risco de acidente pode agravar-se até 70%.

As cores de carro mais vendidas

É pouco habitual que nos concessionários o comprador escolha a cor do seu veículo. E nas excecionais ocasiões em que o faz, a segurança nunca é a razão principal. As vendas predominam entre os carros pretos e brancos. Até 35% de todos os carros que saem da fábrica são brancos e até três quartos dos compradores preferem cores claras.
Mas isto não é generalizável para todas as idades nem sexos. Efetivamente, a população adulta prefere os carros brancos ou pretos, talvez porque se associam a veículos de luxo ou a veículos familiares, ou simplesmente porque são mais fáceis de limpar. Ao contrário, os carros conduzidos por jovens costumam ser de cores mais vivas, além de serem utilitários e de gamas mais baixas.
De forma geral, os homens costumam encantar-se por cores mais escuras por motivos estéticos, enquanto que as mulheres costumam preferir cores claras, onde prevalece a segurança rodoviária.
Cada vez são mais as alternativas que existem para a cor do nosso carro, já não escolhemos só entre claros e escuros. Hoje pode escolher entre mate, pastel, metalizado, de maior ou menor brilho e até várias cores no mesmo automóvel. Também é frequente utilizar os veículos como meio publicitário, o que pode também influenciar a segurança.

As cores que provocam mais acidentes


Existem vários estudos que confirmam a relação entre cores e acidentes. Entre eles cabe destacar a investigação realizada pelo MUARC (Centro de Investigação de Acidentes da Universidade de Monash em Melbourne, Austrália), na qual se analisaram os quase 900 mil acidentes de trânsito sucedidos entre 1987 e 2004 em diferentes estados da Austrália. Daqui extraíram-se várias conclusões:
A cor prateada é a mais segura. Apenas 12% dos acidentes acontecem em carros desta cor. Por sorte, é cada vez mais uma tendência comprar carros cinzentos/prateados, o que poderá substituir a predominância do preto e aumentar a segurança nas nossas estradas.
As cores claras como o branco, o beje ou o amarelo não só absorvem como também transmitem a luz solar, tornando-os mais visíveis.
O clima é determinante na visibilidade do veículo. As cores brilhantes, em dias de névoa ou chuva forte, diminuem o risco de colisão em até 20%.
Verde, preto ou castanho são os carros com maior probabilidade de sofrer um acidente.

Segundo dados, cinza ou prata é a cor com melhor índice no quesito segurança.

Fonte: Circula Seguro
magens | iStock welcomia JaruekChairak Ildo Frazao diegograndi