Subaru Touring Racing Club – A mais nova categoria do automobilismo


Uma categoria aberta, feita por pilotos para pilotos. Este é o principal lema do Touring Racing Club, a mais nova categoria do automobilismo nacional. Nesta terça-feira (13), às 11hs, na Concessionária da Subaru na Avenida Ibirapuera, número 2448, em Moema, São Paulo, será dada a oportunidade para pilotos e patrocinadores de conhecerem de perto o Subaru Impreza WRX Sedan com 350 cavalos de potência que será utilizado no campeonato em 2013, idealizado por grandes nomes do esporte, como os pilotos Paulo Gomes e Marçal Melo e que já conta com apoio da Pirelli, UNS, PlayTV, Avantgarde Sports e Sparco.
 
O Touring Racing Club tem como objetivo criar uma nova categoria para os apaixonados por velocidade, além de disponibilizar atrações para toda família, enquanto as duas baterias de cada um dos seis finais de semana da primeira temporada do TRC acontecem. Dentro da pista, serão até 25 carros muito especiais. O modelo, um Subaru Impreza WRX Sedan preparado pela Dragão Motorsport com motor 2.5 turbo de 350 cavalos de potência, tração 4×4 e Body Kit do Pavão Design.
 
Tudo isso usando etanol como combustível, deixando a categoria mais ambientalmente sustentável, e incentivando a indústria nacional. Fora da pista, o TRC terá diversas ativações para tornar o evento uma experiência completa para toda a família, além de patrocinadores. Espaço Kids para as crianças, completo com brinquedos relacionados ao automobilismo, incentivando desde cedo o amor pelo esporte.
 
Para quem quiser testar sua habilidade online, uma área com simuladores de corrida também estará presente, assim como SPA, um espaço para um momento de tranquilidade em meio a um ambiente de muita correria e com o som alto dos motores. Estas são apenas algumas das atrações que o TRC irá oferecer, além de test-drive de carros da marca e volta rápida com pilotos profissionais. “Esta é a oportunidade que tenho para tentar retribuir tudo que o automobilismo já fez por mim”, diz Marçal Melo, Presidente do Touring Racing Club.
 
“Queremos fazer um evento completo para pilotos, familiares e patrocinadores, com organização e transparente. Um trabalho bem feito de competidores para competidores. Com carros iguais vamos garantir ainda mais equilíbrio para o campeonato”, destaca Marçal Melo. Diretor Geral do TRC, Paulo Gomes, tetracampeão da Stock Car e segundo maior vencedor da categoria, ressalta esta grande novidade para o automobilismo nacional.
 
“Nesta terça-feira faremos o brunch de apresentação do carro e será o ponto de partida para o TRC. Depois, vamos disputar às 12hs de Tarumã em dezembro com o objetivo de testar exaustivamente todos os aspectos do nosso equipamento e vamos trabalhar para que todos se surpreendam com as características do nosso evento, algo novo e diferente dentro do automobilismo nacional em relação a tecnologia e valores”, encerra Paulo Gomes.
fonte: site e foto divulgação

Grand-Am: Fittipaldi participa de testes com a Action Express em Daytona e Barber


Brasileiro viaja nesta segunda-feira para os EUA para dois dias de testes em cada pista, visando a temporada 2013
O piloto brasileiro Christian Fittipaldi embarca, nesta segunda-feira (12), rumo aos Estados Unidos para testar o carro da equipe Action Express que usará na temporada 2013 da Grand-AM Rolex Sports Car Series - categoria de turismo norte-americana. Fittipaldi e os pilotos da equipe farão testes em duas pistas americanas: Daytona (nos dias 13 e 14) e em Barber (nos dias 19 e 20 de novembro - apenas Fittipaldi e o português João Barbosa participarão destas sessões). O calendário 2013 da competição tem início em 4 de janeiro e a primeira corrida, das 12 que compõe o campeonato, será a tradicional 24 Horas de Daytona.
 
Christian, que anunciou a participação na categoria no início de outubro, está animado para os treinos com o modelo Chevrolet Corvette. "Todos os pilotos da equipe devem participar dos treinos em Daytona e Barber. Estou bastante animado, pois vai ser o meu primeiro teste oficial com a equipe após o anúncio do contrato para 2013. Vamos trabalhar no acerto do carro para a temporada e para as 24 Horas de Daytona", disse o piloto de 41 anos e único brasileiro a disputar as três principais categorias do automobilismo mundial (F-1, Indy e Nascar).
 
Fittipaldi já acelerou pela equipe Action Express em outras duas oportunidades: 2011 e 2012, nas 24 Horas de Daytona. O piloto já venceu o evento em 2004 e ficou em terceiro em 2011 e neste ano conquistou o quinto lugar. Mesmo com as 12 provas previstas nos Estados Unidos, Christian tem planos de continuar morando no Brasil e competindo na Copa Fiat.
 
Daytona e Barber
 
O autódromo de Daytona fica em Daytona Beach, no estado da Flórida, e é um dos mais tradicionais do automobilismo mundial. O local é palco das principais disputas no país, com o Daytona 500 (Nascar) e as 24 Horas de Daytona. Além da parte oval, o circuito tem a opção de pista mista com 12 curvas e 5,7 quilômetros de extensão.
 
O circuito de Barber, fica na cidade de Brimingham, no estado do Alabama. São 3,7 quilômetros de extensão, com um total de 17 curvas. Inaugurado em 2003, o autódromo possui variações de relevo em um trajeto travado.

Pilotos e amantes da velocidade reverenciam "alma" de Tarumã em festa de 42 anos

Festa de aniversário contou com ilustres presenças de ex-pilotos e preparadores no circuito de Viamão

 

Desde o pioneirismo no Rio Grande do Sul, ao traçado veloz e desafiador são muitos os motivos que levam os gaúchos a escolherem Tarumã como a pista que mora no coração de quem gosta de velocidade. No bate-papo descontraído de pilotos, preparadores e jornalistas era difícil elencar apenas uma razão do sucesso tão grande da pista de Tarumã que completou neste dia 8 de novembro, 42 anos de história. 

 

Para celebrar o circuito nada melhor do que entrar de corpo e alma nos 3.016 metros do circuito. A pista foi liberada para pilotos Jurássicos e outros apreciadores fazerem um passeio proporcionando sensações que passam pela rápida Curva 1, pela freada brusca da Curva do Laço e pela famosa e encantadora Curva do Tala Larga. 

 

- A pista e as instalações de hoje ficaram sensacionais. Se pensarmos na época que iniciamos aqui na década de 70 é muito diferente. Não que antes fosse ruim, porque naquela época não tínhamos nada e as corridas eram de rua ou em locais totalmente inadequados. Quando veio Tarumã, foi o "céu" e continua sendo o máximo para nós. O "Bocão" Pegoraro tem uma frase que simboliza muito isso, dizendo que Tarumã tem "Alma" - afirmou Roberto Giordani.

 

Homenageada na noite, Paula Andreatta, neta de Catharino Andreatta, se emocionou ao ver o carinho de todos com o avô e falou sobre a relação com Tarumã. 

 

- É um prazer e uma grande honra ser homenageado. Esse autódromo foi inaugurado assim que meu avô faleceu e depois veio a levar o nome dele. Fico feliz de ser homenageado nesse lugar tão importante para nossa família. O Norberto Jung é outro nome que precisa ser muito destacado no automobilismo porque foi um dos pioneiros naquela época - afirmou.

 

Durante a festividade também foi feita homenagem a Luiz Alberto Ribeiro de Castro, o Castrinho, falecido recentemente. A iniciativa do aniversário foi da Confraria dos Jurássicos que reúne pilotos e preparadores com larga experiência no esporte com apoio do Automóvel Clube do Rio Grande do Sul.

Com clima instável pilotos do Endurance dão show nas 3 Horas de Tarumã


Prova em Tarumã disputada neste domingo contou com grid de 26 carros
Foram três horas de fortes emoções na prova disputada em Tarumã, válida pelo campeonato Gaúcho e Brasileiro de Endurance. Os pilotos deram show de velocidade e talento na pista de Tarumã na corrida que iniciou às 10h deste domingo (11/11). Anderson Toso, Fábio Fogaça e Carlos Steyer, fizeram bonito com o Ford Fusion, número 9, e conquistaram a vitória. Chegar no topo, não foi nada fácil. Anderson Toso, conta que chegou a passar pelos boxes na intenção de trocar os pneus, mas optou em não parar e segurar o carro mesmo com a pista molhada.
 
- É uma vitória até melhor do que se fosse o tempo todo no seco. Claro que fomos beneficiados com o acidente no fim do Tubarão. A nossa chance era nos mantermos na pista com pneu slick. A chuva ameaçava parar e vinha mais forte, então o risco de rodar era muito grande - contou Toso.

A primeira hora de corrida teve tempo nublado em Viamão. Até que começaram a cair os primeiros pingos de chuva na pista. Ainda assim, a maioria optou em permanecer na pista com os pneus do tipo slick, já que a chuva não veio com força. O cenário só mudou faltando pouco menos de 15 minutos para o fim quando a pista ficou molhada e deu trabalho para os pilotos que já estavam com os carros desgastados.

O protótipo Tubarão, da cidade de Campo Bom fez a pole position com o incrível tempo de 1 min 1s 578 e uma velocidade média de 177,6 Km/h. Com o sinal verde, a equipe da MC Competições impôs um ritmo forte, mas sempre seguido de perto pelos adversários. O problema no final da corrida foi provocado segundo o piloto Tiel de Andrade, por uma quebra na suspensão.
 
- Simplesmente o carro vinha na Curva 1 e eu virei passageiro. Fui frear e nada respondia. Vai ser possível recuperar porque quebrou só partes de fibra e para 12 Horas estaremos de volta. Eu estava já em condição boa para correr na chuva. Vinha andando super bem e poupando o carro, mas infelizmente teve essa quebra de uma peça da suspensão - contou.
 
A vitória foi do Ford Fusion, 9, de Anderson Toso, Fábio Fogaça e Carlos Styer. O segundo lugar ficou ainda com o Protótipo Tubarão 5 de Tiel de Andrade e Pedro Castro pelo número de voltas que tinham já de vantagem. Em terceiro lugar completou Délcio Dornelles Renato Dornelles e Marcelo Dornelles com o Gol número 3. O Endurance disputa a etapa final como parte integrante das 12 Horas de Tarumã que tem largada à meia noite de 8 de dezembro.

Luiz Clemente Moroni e Fernando Junior fazem a festa do título em Tarumã


Dupla do Celta 6 conquistou o título de campeão no Gaúcho de Marcas & Pilotos neste domingo (11/11)
Com fortes disputas e muita adrenalina na pista o Campeonato Gaúcho de Marcas & Pilotos fez o público vibrar nas arquibancadas do Autódromo de Tarumã. A prova dividida em duas baterias disputadas neste domingo (11/11), foi realizada em alguns momentos com pista seca e outros com a pista molhada. Precisando apenas de um 10º lugar na primeira bateria, Luis Clemente Moroni completou na 6ª posição e desceu do carro vibrando e comemorando o título.
 
- A situação estava complicada porque os carros vinham arriscando demais. Pensei no campeonato e tentei deixar o carro inteiro levando até o final - declarou.
 
O companheiro que divide o comando do carro, Fernando Junior, vibrou com a conquista do título.

- Isso é um sonho. Fizemos um trabalho desde o começo do ano excepcional e todos estão de parabéns - afirmou.
 
Quem se deu bem na primeira bateria foi Luiz Ribeiro, de Bom Retiro do Sul. O piloto do Uno 44 tomou a liderança logo na segunda volta e não perdeu mais.

- Consegui pegar a ponta na segunda volta. Gosto de andar com chuva e depois foi só administrar. A pista estava bem escorregadia, mas estou acostumado. O próprio carro da Fiat tem essa característica de sair de traseira, o que é muito bom nessa condição - disse.
 
Na segunda bateria com o grid invertido nas primeiras colocações, as brigas ficaram ainda mais acirradas. Juliano Salton, que havia terminado na 8a colocação, herdou a primeira posição no grid, conforme o regulamento da categoria determina. Rodrigo Miguel buscou posições e assumiu a dianteira até o final. Luiz Ribeiro ainda buscou ultrapassagens e chegou na 2a posição. Os campeões no Celta 6, guiado por Fernando Junior, ainda encerraram na 3a posição.

Marcelo Matusiak
 

Barrichello: "Na próxima vou com colete à prova de bala"

Bem-humorado, piloto encara abandono em Brasília como nova etapa no aprendizado da categoria
BRASÍLIA - "Na próxima vou correr com colete à prova de bala". Foi assim, de excelente humor apesar do abandono causado pela sucessão de toques recebidos que provocou a quebra da suspensão esquerda traseira no meio da prova, que Rubens Barrichello analisou a sua segunda corrida na Stock Car. Rubinho foi um dos destaques da 11ª e penúltima etapa da temporada ao partir da 8ª posição no Autódromo Internacional Nelson Piquet, mas pagou o preço do aprendizado do ritmo frenético imposto por alguns competidores desde a largada. A vitória foi de Max Wilson (RC), quebrando um jejum de mais de dois anos.
 
A resposta de Rubinho foi motivada pela pergunta sobre o clima que espera encontrar no fechamento do calendário, que pagará o cobiçado prêmio de R$ 1 milhão ao vencedor. Afinal, se numa etapa regular os choques se sucederam, é natural imaginar que a disputa pela bolada seja ainda mais acirrada. Rubinho, no entanto, fez questão de considerar os toques como uma nova fase do aprendizado e louvar a evolução verificada no Distrito Federal. "Foi um fim de semana muito legal, no qual melhorei minha posição de largada. A corrida foi muito movimentada, mas não tenho de levar para o lado negativo das situações que aconteceram. Mas fui indo para trás devido às pancadas. Foi uma situação difícil porque o pessoal estava agitado e a minha suspensão quebrou por que se fragilizou de tantas batidas. É uma pena porque foi minha segunda corrida aqui. Eu melhorei, mas ainda vou ter de entender como esse é o ritmo de corrida. Tentar desviar, porque tem alguns que dão mais trabalho que os outros em termos de pancada, e procurar melhorar em São Paulo."
 
Barrichello admitiu a surpresa com o elevado número de toques numa posição no grid onde supostamente as chances de incidentes seriam menores. Em Curitiba, na estreia no mês passado, o piloto da Equipe Medley/Full Time saiu no meio do pelotão. "Eu não acha que seria assim. Mas em duas voltas perdi acho que dez posições por causa das pancadas. Mas quero olhar isso como uma coisa da natureza dessas corridas. Aprender a deixar o carro intacto, porque essas pancadas têm quebrado muito o carro. Na corrida passada fechou o escapamento, nessa a suspensão quebrou com tudo", lembrou.
 
Sucesso de público tanto no grid, onde saiu os torcedores das arquibancadas com a tradicional sambadinha, como na visitação aos boxes, Barrichello teria outro compromisso no início da noite em São Paulo. Como convidado especial, assistiria ao encerramento de mini-turnê paulistana de Roberto Carlos. "Vou ver se ele aparece na Corrida do Milhão", disse. O companheiro de equipe Xandinho Negrão não teve melhor sorte na prova: penúltimo no grid, Xandinho andou sempre fora da zona de pontos e nem completou as 42 voltas, encostando o carro nos boxes no finalzinho. "Parece que o motor perdeu rendimento e os freios acabaram no mesmo momento", justificou.
 
Os resultados deixaram o campeonato completamente em aberto, já que vários pilotos têm chances de chegar ao título na última etapa, especialmente porque a pontuação será dobrada.
 
O resultado da prova:
 
1 - Max Wilson - Eurofarma RC - Chevrolet - 41 voltas em 41min43s118
 2 - Ricardo Mauricio - Eurofarma RC - Chevrolet - a 3s126
 3 - Nonô Figueiredo - Mobil Super Pioneer Racing - Chevrolet - a 4s545
 4 - Rodrigo Sperafico - Prati-Donaduzzi Racing - Peugeot - a 6s753
 5 - Luciano Burti - Itaipava Racing Team - Peugeot - a 7s708
 6 - Átila Abreu - Mobil Super Pioneer Racing - Chevrolet - a 9s385
 7 - Daniel Serra - Red Bull Racing - Chevrolet - a 11s744
 8 - Ricardo Zonta - Linea Sucralose - Chevrolet - a 13s332
 9 - Cacá Bueno - Red Bull Racing - Chevrolet - a 15s125
 10 - Valdeno Brito - Shell Racing - Peugeot - a 15s924
 11 - Ricardo Sperafico - Prati-Donaduzzi Racing - Peugeot - a 17s174
 12 - Diego Nunes - Hot Car Competições - Chevrolet - a 22s167
 13 - Lico Kaesemodel - RCM Motorsport - Chevrolet - a 23s113
 14 - Giuliano Losacco - Shell Racing - Peugeot - a 27s258
 15 - Tuka Rocha - BMC Racing - Chevrolet - a 29s620
 16 - Denis Navarro - Vogel Motorsport - Chevrolet - a 30s284
 17 - Vitor Meira - Officer ProGP - Chevrolet - a 31s804
 18 - Popó Bueno - Linea Sucralose - Chevrolet - a 36s416
 19 - Tony Kanaan - Bassani Racing - Peugeot - a 39s722
 20 - Julio Campos - Carlos Alves Comp. - Peugeot - a 43s761
 21 - Thiago Camilo - RCM Motorsport - Chevrolet - a 43s946
 22 - Duda Pamplona - Officer ProGP - Chevrolet - a 43s961
 23 - Raphael Matos - Bassani Racing - Peugeot - a 44s148
 24 - Allam Khodair - Vogel Motorsport - Chevrolet - a 45s119
 25 - Antonio Pizzonia - Comprafacil Nascar JF - Peugeot - a 45s500
 26 - David Muffato - Itaipava Racing Team - Peugeot - a 47s132
 27 - Patrick Gonçalves - Carlos Alves Comp. - Peugeot - a 50s072
 28 - Xandinho Negrão - Medley Full Time - Peugeot - a 3 voltas
 

Não completaram:
 
29 - Eduardo Leite - Hot Car Competições - Chevrolet - a 14 voltas
 30 - Galid Osman - BMC Racing - Chevrolet - a 22 voltas
 31 - Rubens Barrichello - Medley Full Time - Peugeot - a 22 voltas
 32 - Pedro Boesel - Comprafacil Nascar JF - Peugeot - a 38 voltas
 
Campeonato:
 
1 - Cacá Bueno - 159
 2 - Átila Abreu, Daniel Serra e Ricardo Maurício - 149
 5 - Max Wilson - 138
 6 - Valdeno Brito - 136
 7 - Nonô Figueiredo - 130
 8 - Thiago Camilo - 113
 9 - Allam Khodair - 112
 10 - Julio Campos e Luciano Burti - 101
 12 - Denis Navarro - 76
 13 - Galid Osman - 72
 14 - Lico Kaesemodel - 65
 15 - Diego Nunes - 61
 16 - Antônio Pizzonia - 59
 17 - Ricardo Zonta - 57
 18 - Duda Pamplona e Marcos Gomes - 56
 20 - Ricardo Sperafico - 51
 21 - Rodrigo Sperafico - 47
 22 - Vitor Meira - 45
 23 - David Muffato - 39
 24 - Xandinho Negrão e Giuliano Losacco - 33
 26 - Pedro Boesel - 31
 27 - Felipe Maluhy - 28
 28 - Popó Bueno e Tuka Rocha - 27
 30 - Eduardo Leite - 20
 31 - Alceu Feldmann - 9
 32 - Patrick Gonçalves - 4
 33 - Diego Freitas - 3
 34 - Bruno Junqueira E Tony Kanaan - 2
 
A Equipe Medley/Full Time apoia a doação de sangue. Doe sangue. Salve uma vida.
 

Max Wilson vence e embola Copa Caixa Stock Car

Sete pilotos chegam com condições matemáticas de serem campeões na Corrida do Milhão Goodyear, a última etapa da temporada a ser disputada no dia 9 de dezembro em Interlagos.

A emocionante penúltima etapa da temporada, disputada neste domingo no Autódromo de Brasília, colocou fogo na Copa Caixa Stock Car. A vitória de Max Wilson, o segundo lugar de Ricardo Maurício e a empolgante terceira colocação de Nonô Figueiredo, embolaram de vez a briga pelo título. Em Interlagos, no dia 9 de dezembro, quando será realizada a Corrida do Milhão Goodyear, 44 pontos estarão em jogo, o dobro do normal, além do prêmio de R$ 1 milhão, o maior oferecido pelo esporte nacional, prova que terá mais um importante nome: Helio Castroneves, três vezes vencedor das 500 Milhas de Indianápolis, foi confirmado neste domingo na Equipe Shell Racing.
 
Com isso, sete pilotos continuam na disputa matemática da mais importante categoria do automobilismo brasileiro. Cacá Bueno - nono na prova deste domingo - tem 159 pontos, Átila Abreu, Daniel Serra e Ricardo Maurício estão empatados com 149, Max Wilson tem 138, Valdeno Brito 137 e Nonô Figueiredo 130. Os outros estão fora da luta pelo campeonato, mas diretamente na briga pelo prêmio de R$ 1 milhão.
 
Max obteve sua quarta vitória na carreira e voltou ao topo do pódio depois de mais de dois anos, pois seu último primeiro lugar tinha sido em Londrina no dia 10 de outubro de 2010, justamente o ano da sua conquista. Esta também foi a primeira dobradinha - em quatro temporadas - de Max e Ricardinho pela equipe Eurofarma RC.
 
Depois de largar na pole e se manter na frente durante 15 voltas, o pneu esquerdo traseiro do carro de Thiago Camilo estourou e ele teve de voltar para os boxes. Max Wilson, que vinha em segundo, depois de, logo na largada aproveitar e ultrapassar Átila Abreu, assumiu a ponta e recebeu ordem dos boxes para evitar forçar demais e se manter na frente, principalmente por o segundo colocado ser justamente seu companheiro de equipe. No final, ele cruzou a linha de chegada com 3,1 segundos de vantagem.
 
``É muito bom vencer e o fato de ser na reta final do campeonato eleva o moral meu e de toda a equipe, que merece os agradecimentos pelo trabalho feito nos dois carros. Se tivesse de escolher entre ganhar R$ 1 milhão e o título, sinceramente, ficaria com o título da Stock Car``, disse Max Wilson.
 
Ricardo Maurício, que já se sagrou campeão da Stock Car em 2008 e venceu a Corrida do Milhão Goodyear em 2010, concorda com o companheiro de escuderia.
 
``Sem dúvida se eu tivesse a opção de escolher, seria o título, mas o bom mesmo seria ganhar os dois``, brincou Ricardinho.
 
Um dos grandes destaques da etapa de Brasília foi Nonô Figueiredo, o piloto em atividade com maior número de participações na Stock Car (161 corridas). Ele largou em 23º lugar e chegou ao pódio depois de bela ultrapassagem sobre Rodrigo Sperafico na última volta. Essa situação toda levou o sempre frio Nonô a se emocionar.
 
``Chorei depois de cruzar a linha. Quem conhece a Stock Car sabe da dificuldade que é se chegar ao pódio e ainda mais largando lá atrás, como aconteceu comigo. Chego a Interlagos correndo por fora, mas com chances matemáticas e, a exemplo do Max e do Ricardo, se tivesse de escolher, optaria pelo título em vez do prêmio de R$ 1 milhão``, disse Nonô Figueiredo, de 41 anos.
 
Os estreantes Tony Kanaan e Rafa Matos terminaram, respectivamente, na 19a e na 23a posições. Rubens Barrichello abandonou na 19a volta.
 
Resultado da décima primeira etapa da Copa Caixa Stock Car em Brasília
 
1) Max Wilson (Eurofarma RC), 41min43s118
 2) Ricardo Maurício (Eurofarma RC), a 3s126
 3) Nonô Figueiredo (Mobil Super Pioneer Racing), a 4s545
4) Rodrigo Sperafico (Prati-Donaduzzi Racing), a 6s573
 5) Luciano Burti (Itaipava Racing Team), a 7s708
 6) Átila Abreu (Mobil Super Pioneer Racing), a 9s385
 7) Daniel Serra (Red Bull Racing), a 11s744
 8) Ricardo Zonta (Linea Sucralose), a 13s332
 9) Cacá Bueno (Red Bull Racing), a 15s125
 10) Valdeno Brito (Shell Racing), a 15s924
 11) Ricardo Sperafico (Prati-Donaduzzi Racing), a 17s174
12) Diego Nunes (Hot Car Competições), a 22s167
 13) Lico Kaesemodel (RCM Motorsport), a 23s113
 14) Giuliano Losacco (Shell Racing), a 27s258
 15) Tuka Rocha (BMC Racing), a 29s620
 16) Denis Navarro (Vogel Motorsport), a 30s284
 17) Vitor Meira (Officer ProGP), a 31s804
 18) Popó Bueno (Linea Sucralose), a 36s416
 19) Tony Kanaan (Bassani Racing), a 39s722
 20) Julio Campos (Carlos Alves Comp.), a 43s761
 21) Thiago Camilo (Ipiranga-RC), a 43s946
 22) Duda Pamplona (Officer ProGP), a 43s961
 23) Rafa Matos (Bassani Racing), a 44s148
 24) Allam Khodair (Vogel Motorsport), a 45s119
 25) Antonio Pizzonia (Comprafacil/Nascar), a 45s500
 26) David Muffato (Itaipava Racing Team), a 47s139
 27) Patrick Gonçalves (Carlos Alves Comp.), a 50s072
 28) Xandinho Negrão (Medley Fulltime), a 3 voltas
 29) Eduardo Leite (Hot Car Competições), a 14 voltas
 30) Galid Osman (BMC Racing), a 22 voltas
 31) Rubens Barrichello (Medley Fulltime), a 22 voltas
32) Pedro Boesel (Comprafacil Nascar JF), a 38 voltas
 
Melhor volta - Thiago Camilo, 59s859 km/h na 19ª volta.

A Copa Caixa de Stock Car tem organização e realização da Vicar Promoções Desportivas, com supervisão da Confederação Brasileira de Automobilismo (CBA). A Caixa é um dos patrocinadores oficiais da principal categoria do automobilismo, dando nome ao campeonato, que ainda tem o patrocínio da Goodyear, além do copatrocínio de Shell V-Power Etanol, Bosch, Mobil Super, Pioneer e o apoio da Itaipava e Transzero. As montadoras são Chevrolet e Peugeot.
 


Pesquisar